Trilhas de Conhecimentos - O Ensino Superior de Indígenas no Brasil

Projeto
Público Alvo
Expediente

Artigos
Dissertações e Teses
Referências Bibliográficas
Livros

Entrevistas

Núcleo Roraima
Núcleo Mato Grosso do Sul

Galeria Multimídia

Ações Governamentais
Educação Superior Indígena


Links
Newsletter

Fale Conosco
Mapa do Site


 
     


Notícias deAgosto/2008


Avanço das cotas e das políticas afirmativas
Julho/2008

Revista ADUSP: Cotas no Brasil: Um panorama da aplicação de políticas afirmativas nas universidades públicas.

Por mais que se tenha ressalvas com relação às cotas, em especial as étnicas ou raciais, é impossível ao observador isento deixar de ver que elas estão operando notável transformação no corpo discente das universidades públicas que as adotaram. Graças a elas, agora já se pode encontrar, por exemplo, estudantes negros em cursos de Medicina, nos quais o ingresso de não-brancos era simplesmente inimaginável até poucos anos antes. A quantidade de alunos indígenas da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) também impressiona: no vestibular de 2008 foram aprovados nada menos do que 163 candidatos oriundos dos povos originários. Sem falar nos 1.818 candidatos negros que ingressaram na instituição neste ano, igualmente beneficiados pelas cota.


http://www.adusp.org.br/revista/43/rev43.pdf


I Seminário de Educação: por uma Educação Intercultural
19/08/08

UNIR

Entre os dias cinco e sete de novembro, o Departamento de Pedagogia (DEPED), do Campus de Vilhena, da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), realizará o “I Seminário de Educação: por uma Educação Intercultural”. O objetivo do evento é discutir a garantia dos direitos sociais para todos os cidadãos, por meio da construção de projetos político-pedagógicos dos diversos espaços educativos, formais, não formais e informais, a partir de uma perspectiva de educação intercultural.


http://www.depsi.unir.br/index.php?pag=eventos&id=76


UEA sedia evento da Rede Internacional de Estudos Interculturais
20/08/08


UEA


A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) sedia, nos dias 11 e 12 de setembro, o seminário internacional Universidade, Povos Indígenas e Educação Cidadã em Conceitos Multiétnicos na América Latina. O evento é uma ação da Rede Internacional de Estudos Interculturais (Ridei), que desenvolve o projeto Educação Cidadã Intercultural para Povos Indígenas na América Latina.


http://www.uea.edu.br/noticia.php?dest=info&noticia=14829


Seduc reafirma a seriedade para com a Educação Escolar Indígena
24/08/08


Jornal Pequeno


A Educação Escolar Indígena no Maranhão é uma modalidade de ensino que vem recebendo um tratamento especial por parte do governo do Estado, alicerçada em um novo paradigma educacional de respeito à interculturalidade, ao multilingüismo e a etnicidade. É o que garante nota divulgada pela Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), com base em informações da sua Superintendência de Modalidades e Diversidades Educacionais.


http://www.jornalpequeno.com.br/2008/8/23/Pagina85572.htm


Propostas de Política Universitária para educação indígena são apresentadas durante conferência
26/08/2008

Governo do Amazonas

As propostas de Política da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) para as populações indígenas do Estado do Amazonas foram apresentadas na manhã desta terça, 26, pela reitora Marilene Corrêa da Silva Freitas, durante a II Conferência dos Povos Indígenas do Amazonas, realizada no Centro Cultural Povos da Amazônia.

http://www.amazonas.am.gov.br/noticia.php?cod=1237


O índio na universidade
26/08/08


Sofia Moutinho - AgN/Praia Vermelha

Desde o ano passado, a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) destina vagas para indígenas em alguns de seus cursos. Neste ano já foi publicado o edital específico do concurso de Vestibular para indígenas que queiram ingressar em cursos de Graduação no período letivo de 2009. O número de vagas aumentou para 20, distribuídas entre os cursos de Direito, Enfermagem, Nutrição, Farmácia e Agronomia. Em 2003, o deputado federal Carlos Abicalil (PT-MT), protocolou na Câmara um projeto de lei que visa à criação da Fundação Universidade Federal Autônoma dos Povos Indígenas, instituição de ensino superior exclusiva aos indígenas que teria sede em Cuiabá e seria vinculada ao Ministério da Educação.

http://www.olharvirtual.ufrj.br/2006/index.php?id_edicao=218&codigo=4


III Simpósio Internacional sobre Religiosidades, Diálogos Culturais e Hibridações
27/08/08

Por Caroline Maldonado – Rede de Saberes


A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) realizará entre os dias 21 a 24 de abril de 2009 o III Simpósio Internacional sobre Religiosidades, Diálogos Culturais e Hibridações. Até o dia um de setembro deste ano estarão recebendo as propostas de simpósios temáticos e os aprovados serão divulgados no dia 15 do mesmo mês. A partir de então estarão abertas as inscrições de trabalhos. Em fevereiro de 2009 será divulgada a programação final. Ele acontecerá no Teatro Glauce Rocha (Cidade Universitária/UFMS) e nas dependências da UFMS. O objetivo do Simpósio é analisar as práticas e os diferentes diálogos culturais construídas pelas mais diversas representações. Nesse sentido, a proposta contempla questões teóricas e metodológicas importantes para o avanço dos estudos interdisciplinares. Os temas principais serão violência, confrontos étnicos, disputas de campos simbólicos, diásporas, globalização e multiplicidades identitárias. Esses processos são os resultados de temporalidades mescladas e superpostas e das situações coloniais e pós-coloniais. A Associação Nacional de História – Seção de Mato Grosso do Sul (ANPUH/MS), o Mestrado em Estudos da Linguagens (DLE/CCHS) e o Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEdu/CCHS) apóiam a realização. Até o dia 23 de novembro participantes de graduação pagam 100,00 na inscrição, profissionais e estudantes de pós-graduação pagam 120,00 e para professores universitários o valor é de 130,00. Para mais informações acesse: www.simposioreligioes.ufms.br

http://www.rededesaberes.org/www/index.html#


Oficina de Redação do Rede de Saberes iniciada hoje
27/08/08

Por Caroline Maldonado – Rede de Saberes


Três acadêmicos participaram da primeira aula da Oficina de Redação do Rede de Saberes, hoje das 13:30 às 17:30. A Profª Maria Fernanda Daniel pediu a elaboração de um texto dissertativo com informações sobre as pesquisas realizadas pelos acadêmicos e a exposição das dificuldades com leitura interpretação e produção textual. Segundo ela, as aulas estarão voltadas para a melhora na capacidade de produção de textos, principalmente científicos, já que a maioria dos acadêmicos fazem pesquisa de iniciação científica. De início, ela irá realizar atividades que estimulem a leitura e, conseqüentemente o aprimoramento do vocabulário dos alunos. Para tal, dará apoio individual a cada um. A acadêmica Joyner Santana Alcântara, de 19 anos, do 6° semestre de Zootecnia acredita que as aulas irão ajudá-la na sua maior dificuldade que é justamente a produção científica. Ela é orientanda da Profª Suzete Rosana Wiziak e já teve muitas melhoras com o apoio do Programa Rede de Saberes, através de cursos de suplementação.


http://www.rededesaberes.org/www/index.html#


Professores, alunos e comunidades indígenas serão ouvidos em conferências locais e regionais
27/08/2008

Ionice Lorenzoni - MEC

Portaria do ministro da Educação, Fernando Haddad, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 27, convoca para outubro de 2009 a 1ª Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena. O tema da conferência é a Política de Educação Escolar Indígena do Estado Brasileiro. Determina, também, a realização de conferências preparatórias locais e regionais, a começar no segundo semestre de 2008, e institui uma comissão para organizar o evento.


http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=11119


28 de Agosto de 2008 - 07h02 - Última modificação em 28 de Agosto de 2008 - 07h02


Coiab defende educação bilíngüe nas escolas da Amazônia
28/08/08

Amanda Mota - Repórter da Agência Brasil

Manaus - A coordenadora de Infância e Juventude da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) em Rondônia, Waldeíza Karitiana, defendeu esta semana, em Manaus, a educação bilíngüe nas escolas de ensino fundamental na região amazônica. Para ela, os poderes públicos municipal e estadual precisam reforçar essa modalidade de ensino nas escolas da Amazônia, sob pena de prejudicar a preservação da cultura indígena no país.

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/08/28/materia.2008-08-28.5779586987/view


Unir oferece onze novos cursos de graduação para 2009
28/08/08

Página 9


A Universidade Federal de Rondônia (Unir) divulgou na última sexta-feira (22) o edital do vestibular 2009. A universidade oferecerá 2.380 vagas para o ano letivo de 2009 em 48 cursos de graduação, com ingresso no primeiro e segundo semestres, distribuídos entre o Campus de Porto Velho e os Campi do interior, em Ariquemes, Cacoal, Guajará-Mirim, Ji-Paraná, Rolim de Moura e Vilhena.


http://www.pagina9.ufu.br/default.asp?link=noticia&id=26919


Acadêmicos indígenas recebem aulas de informática e metodologia científica
28/08/2008


Repórter : Karla Morinigo


Tem início hoje as aulas de “Informática Básica” destinadas aos acadêmicos indígenas do Programa Rede de Saberes da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). O curso será ministrado pela professora Rosemeire Martins.


http://www.noticias.ucdb.br/index.php?menu=noticia&cod_not=30999


Estudantes indígenas discutiram o Ensino Superior na UFPR
29/08/08


Uma boa impressão da UFPR, expectativas atendidas em relação aos cursos escolhidos e o interesse nos programas de pós-graduação são algumas das experiências relatadas pelos estudantes indígenas da etnia Caingangue, Tenile Mendes – de Santa Catarina, do segundo ano do curso de Odontologia, Oséias Dias e Marlon de Freitas Pandolfo, ambos do Rio Grande do Sul respectivamente, calouros dos cursos de Psicologia e Agronomia.


Movidos pelos mesmos objetivos, esses alunos acompanharam o Seminário “O Ensino Superior na UFPR”, quinta-feira, 28 de agosto. Unindo suas vivências na Universidade, a presença dos jovens também foi motivada pela busca de mais esclarecimentos sobre as políticas públicas e ações afirmativas na área de Educação Superior, o sistema de cotas para os povos indígenas, e sobre as resoluções da ONU abordando os direitos dos povos indígenas – demarcação de terras, inclusão social, direitos das mulheres e propostas relativas à Educação.


http://www.ufpr.br/adm/templates/index.php?template=3&Cod=4362

Foram aprovadas nove bolsas para os acadêmicos do Rede
22/08/08

Por Caroline Maldonado – Rede de Saberes

Foram aprovados os Projetos de Pesquisa 2008/2009 que garantem aos acadêmicos do Programa Rede de Saberes bolsas da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Um deles é “Memória, Percepção e Sentidos do Aprender dos Terena nas Aldeias Córrego do Meio e Buriti: Subsídios para uma proposta de Etnoeducação”, no qual estão a Joyner Santana (Zootecnia), o Jadson Vergílio (Pedagogia) pela UCDB e a não-indígena Jaqueline Rodrigues (Pedagogia) pelo CNPq. Também terão bolsa CNPq o Denivaldo Campos (Psicologia) e o Etelvino de Almeida (Geografia). Os acadêmicos Antonio Bernardo (Geografia), Gilmar Martins (Design) e Valdevino Gonçalves (História) terão suas pesquisas financiadas pela UCDB em forma de desconto nas mensalidades. Há ainda, uma vaga para acadêmico a ser orientada pela Profª Vera Lúcia Vargas. A cada ano que passa a UCDB alcança um maior número de aprovações de projetos pelo CNPq. Os resultados são apresentações dos acadêmicos em seminários dentro e fora da universidade. Quem busca essas bolsas para os indígenas é a Profª Dr. Marta Brostolin que está no Rede desde 2005. Ela assumiu a coordenação em julho do ano passado e contou que desde a aprovação do Programa Rede de Saberes cresceu o número de acadêmicos indígenas beneficiados com bolsas da própria universidade. Por outro lado, esses acadêmicos já não contam com meia bolsa da Fundação Nacional do Índio (Funai), mas apenas 25% sobre o valor da mensalidade. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é uma agência do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destinada a formação de recursos humanos para a pesquisa no país. Ele oferece bolsas para alunos do ensino médio, graduação, pós-graduação, recém-doutores e pesquisadores já experientes.

http://www.rededesaberes.org/www/index.html#

 

Acadêmicos de Tarauacá discutem educação indígena
21/08/08

Agência de Notícias do Acre

O ponto alto do debate foi o desenvolvimento da educação indígena em relação à língua materna e a língua portuguesa.

Professores e alunos do curso de licenciatura plena em Pedagogia a Distância de Tarauacá receberam em encontro na última quarta-feira, 20, dois representantes de comunidades indígenas das etnias shanenawa da Aldeia 27 e kaxinawa. Foram convidados o professor Inácio Shanenawa e Raimunda Silva Pinheiro Kaxinawa para contribuir na discussão da primeira sessão do fascículo, que tem como tema a educação indígena.


http://www.agencia.ac.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=5354&Itemid=26


Relator Especial da ONU conhece projetos da UEA na área de educação indígena
20/08/08

FAPEAM

O relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para os direitos e liberdade dos povos indígenas, James Anaya, visitou nesta terça, dia 19, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Participaram da reunião com Anaya representantes da comunidade científica e de organizações indígenas do Estado.


http://www.fapeam.am.gov.br/noticias/noticia_3194.html


UCDB recebe acadêmico indígena no curso de Jornalismo
20/08/08

Por Caroline Maldonado – Rede de Saberes

Vindo de outra universidade da cidade, Sidney Morais de Albuquerque, de 30 anos, cursa o 2° semestre de Jornalismo. Ele encontra algumas dificuldades para se adaptar as novas disciplinas, mas conta com o apoio do Programa Rede de Saberes para permanecer. “O Rede é uma boa iniciativa que serve de modelo para as outras universidades. Como o Programa tem muitos projetos para os indígenas acredito que vou ter muita ajuda para superar as dificuldades e me integrar”, disse. Ele contou que tem mais dificuldade com a informática, mas já conhece o laboratório do Rede de Saberes que está aberto de segunda a sexta para uso dos acadêmicos indígenas da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). E ainda, irá participar da oficina de informática oferecida pelo programa. Outra dificuldade é falar em público, mas ele espera melhorar, pois o curso exige muito isso. Nascido em Aquidauana, o Terena mora com a esposa e três filhos na Aldeia Urbana Marçal de Souza. Há três anos ele trabalha com pré-impressão de jornal, por isso escolheu o Jornalismo. Já trabalhou no Jornal Brasil Central, A Crítica, Primeira Hora e Diário do Pantanal. Agora está no Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul, no qual tem portas abertas para atuar quando terminar o curso. Sidney parou de estudar no 2° semestre do ano passado, porque o curso era noturno e não dava para conciliar com o trabalho, também à noite. Apesar de ter que acordar cedo para as aulas ele acredita que fez bem em transferir, pois aqui tem mais apoio para estudar. Ele tem bolsa de 50% como todos os indígenas da UCDB e pretende se engajar em um projeto de pesquisa para saber mais sobre a comunidade indígena Marçal de Souza. Depois de terminar o curso ele quer continuar estudando e contribuir com sua aldeia através do conhecimento adquirido. A Aldeia Marçal de Souza foi fundada em meados da década de 90 e atualmente abriga cerca de 170 famílias Guarani, Kadiwéu, Caiuá, Terena, Ofaué e Xavante. São índios que já viviam na capital, ou vieram do interior. Marçal de Souza foi um líder Guarani, assassinado em 1983 em uma emboscada, depois lutar pela retomada das terras indígenas em Mato Grosso do Sul.


http://www.rededesaberes.org/www/index.html#


Inscrições abertas para o vestibular indígena 2009 da UFMT

Por Caroline Maldonado – Rede de Saberes

Estão abertas desde segunda-feira, 18 de agosto, as inscrições para o processo seletivo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), específico de ingresso em cursos de graduação no período letivo de 2009. Ele é exclusivo para estudantes dos povos indígenas de Mato Grosso. São oferecidas 20 vagas suplementares, distribuídas entre os cursos de Direito (quatro vagas), Enfermagem (três vagas) e Nutrição (duas vagas), para o campus de Cuiabá; Enfermagem (duas vagas), Farmácia (duas vagas), para o campus de Pontal do Araguaia; e Agronomia (duas vagas), Enfermagem (três vagas) e Farmácia (duas vagas), para o campus de Sinop. As inscrições poderão ser realizadas até a zero hora do dia 31 de agosto, no site da universidade. O candidato que não tiver acesso à internet poderá utilizar os equipamentos disponibilizados, no período de 18 a 31 de agosto, exceto nos finais de semana, nos seguintes locais: núcleos de apoio de Água Boa e de Juína, e nas administrações regionais da Fundação Nacional do Índio (Funai) do Araguaia, Barra do Garças, Campinápolis, Colíder, Cuiabá, Primavera do Leste, Rondonópolis e Tangará da Serra. Mais informações pelos telefones (65) 3615-8152 e 3628-1290. Fonte: portalmec.gov.br

http://www.rededesaberes.org/www/index.html#


Reitor da UCDB reprova relato verbal para propor demarcação
20/08/08

MS Notícias

O reitor da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), padre José Marinoni, reprovou, na tarde desta quarta-feira (20/08), o uso pela Funai (Fundação Nacional do Índio) de um relato histórico verbal como referência para propor a demarcação das terras indígenas no Estado. “Uma medida que vai provocar reflexos tão profundos em setores essenciais do Estado não pode ser baseada apenas em um documento, sem fundamentação científica”, esclareceu.


http://www.msnoticias.com.br/?p=ler&id=284759


Empaer capacita 130 técnicos em 54 municípios
19/08/08

Redação 24HorasNews

Mais de seis mil agricultores familiares do Estado de Mato Grosso serão capacitados até abril de 2009, pelos técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer). O Coordenador do Projeto do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Almir de Souza Ferro, informa que estão sendo realizadas cinco oficinas de nivelamento técnico para operacionalização do projeto do MDA e políticas públicas para a agricultura familiar. Com recursos na ordem de R$ 4,6 milhões do MDA, o projeto prevê capacitação de técnicos, agricultores e a revitalização da Empaer.


http://www.24horasnews.com.br/index.php?mat=264822´


O boletim das cotas raciais
18/08/2008

Ana Beatriz Magno - Da equipe do Correio

Cotistas da UnB têm rendimento melhor do que os demais alunos na área de Humanas, mas suas notas são piores em Exatas


Laila Ramos Antunes cumpre na pele a sina de seu nome. "Laila significa negra como a noite", diz a moça de 21 anos, aluna do terceiro semestre de enfermagem na Universidade de Brasília. "Entrei pelas cotas e não tenho vergonha disso. Não tive o privilégio de estudar em colégios particulares caros nem venho para o câmpus de carrão".


http://www.palmares.gov.br/003/00301009.jsp?ttCD_CHAVE=1491


Universidades apresentam projetos de licenciaturas
18/08/2008


Ionice Lorenzoni - MEC

O Programa de Apoio à Formação Superior e Licenciaturas Indígenas (Prolind) 2008 recebeu propostas de 16 universidades públicas federais e estaduais das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul. Elas se propõem a abrir 1.464 vagas para professores de 96 povos. O objetivo do Prolind é ampliar a oferta de licenciaturas interculturais para professores indígenas que não possuem graduação.


http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=11071


Ciência e tecnologia para a Amazônia
16/08/08

Kaxiana

Índios Yawanawá (AC) nunca morreram por picada de cobra

Fotos: Romerito Aquino

Ciência e tecnologia são as ações chaves que podem gerar riqueza e desenvolvimento social capazes de tirar a Amazônia e sua população dos terríveis indicadores da fome, miséria, narcotráfico, prostituição infantil, biopirataria e da devastação de sua floresta, considerada a maior, mais bonita e mais rica do planeta.

http://www.kaxi.com.br/noticias.php?id=996


Governo entregará escola indígena em Jenipapo dos Vieiras
15/08/08

Lucilene Alves – Seduc/MA

O secretário de Educação, Lourenço Vieira da Silva, representando o governador Jackson Lago, entrega nesta segunda-feira (18), na cidade de Jenipapo dos Vieiras, a Escola Indígena Wazayzw’yzara. O centro de ensino conta com quatro salas de aulas e demais dependências, com capacidade para atender 640 estudantes nos três turnos do ensino fundamental e médio. Atualmente, o ensino indígena no Estado abrange 236 aldeias, com 239 escolas, 577 professores e 11.372 alunos.


http://www.ma.gov.br/2008/8/15/Pagina6577.htm



Advogados indígenas lançam Observatório dos Direitos Indígenas na UnB
15/08/2008

COAIB

O Centro Indígena de Estudos e Pesquisas (Cinep), lança às 17h, da sexta-feira, 15 de agosto, no Auditório “Dois Candangos”, da Universidade de Brasília (UNB), o “Observatório dos Direitos Indígenas”.

http://www.cimi.org.br/?system=news&action=read&id=3368&eid=257

Apresentação de propostas marcam encerramento do I Encontro do PIMI
15/08/08

Sônia Belfort - UFT

No encerramento do I Encontro de Trabalho do Programa de Monitoria Indígena (PIMI), que aconteceu na tarde de quinta-feira (14), no Campus Universitário de Palmas, a pró-reitora de Graduação, Isabel Auler, reforçou a autonomia dos campi para buscarem metodologias que auxiliem na inserção do estudante indígena. Lembrou ainda que o principal desafio do PIMI, em sua opinião, é convencer esse aluno de que existe um espaço de interação para ele na Universidade. O Encontro foi marcado pela apresentação das propostas do Programa e sugestões de trabalho dos tutores respectivos de cada campus.

http://www.noticias.uft.edu.br/index.php?option=com_content&task=view&id=36344&Itemid=1


I Curso de Capacitação Político-técnica para Lideranças Indígenas
15/08/08

Por Caroline Maldonado – Rede de Saberes


O Centro Indígena de Estudos e Pesquisas (Cinep) realiza entre os dias 16 e 23 de agosto o I Curso de Capacitação Político-técnica para Lideranças Indígenas, na Universidade de Brasília (UnB). O curso é parte das ações do Observatório de Direitos Indígenas. O objetivo é oferecer, no nível de extensão universitária, instrumentos para que lideranças e acadêmicos indígenas possam ampliar a sua compreensão da lógica e do funcionamento das relações do Estado com os povos indígenas. Ele visa contribuir na melhoria da defesa dos direitos e interesses indígenas, na gestão das organizações indígenas, no planejamento e execução de ações prioritárias do movimento indígena. O curso de formação será realizado em duas etapas: a primeira, de 16 a 23 de agosto e a segunda de 19 a 27 de setembro de 2008, também nas instalações da Universidade de Brasília. Fazem parte das prioridades do Observatório as seguintes linhas de ação: apoiar processos de capacitação para advogados indígenas, através de cursos de atualização jurídica e especialização oferecidos pela entidade e por instituições parceiras de ensino jurídico; capacitar e articular observadores e defensores dos direitos indígenas; criar e manter um banco de dados sobre a aplicação dos direitos indígenas no Brasil; propiciar intercâmbios nacionais e internacionais para a formação e aperfeiçoamento acadêmico de lideranças, observadores e defensores dos direitos indígenas; produzir e publicar material específico sobre os direitos indígenas; fortalecer a aplicação dos direitos costumeiros dos povos indígenas. A acadêmica do 8° semestre de Direito da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Carla Mayara Cruz participa do Observatório. Criado em novembro de 2005 por acadêmicos e lideranças indígenas, o Cinep visa promover a articulação de universitários, pesquisadores e lideranças indígenas do Brasil, a fim de fortalecer as organizações indígenas para a defesa dos seus direitos. O diretor presidente é Gersem José dos Santos Luciano Baniwa, antropólogo e representante indígena no Conselho Nacional de Educação.

http://www.rededesaberes.org/www/index.html#


UEA encerra quinta etapa do curso de Licenciatura para Professores Indígenas
15/08/08

UEA

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) conclui nesta sexta, 15, a quinta etapa do curso de Licenciatura para Professores Indígenas do Alto Solimões. Participaram desta etapa 250 indígenas das etnias ticuna, cocama, caixana e cambeba.

http://www.uea.edu.br/noticia.php?dest=info&noticia=14813


Agenda: Vagas para estudantes indígenas na UFMT
Inscrição para vestibular indígena 2009 começa dia 18
15/08/2008

MEC

A partir de segunda-feira, 18 de agosto, a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) abre inscrições para processo seletivo específico de ingresso em cursos de graduação no período letivo de 2009, exclusivamente para estudantes dos povos indígenas de Mato Grosso. São oferecidas 20 vagas suplementares, distribuídas entre os cursos de direito (quatro vagas), enfermagem (três vagas) e nutrição (duas vagas), para o campus de Cuiabá; enfermagem (duas vagas), farmácia (duas vagas), para o campus de Pontal do Araguaia; e agronomia (duas vagas), enfermagem (três vagas) e farmácia (duas vagas), para o campus de Sinop. As inscrições poderão ser realizadas até a zero hora do dia 31 de agosto, na página eletrônica da universidade. O candidato que não tiver acesso à internet poderá utilizar os equipamentos disponibilizados, no período de 18 a 31 de agosto, exceto nos finais de semana, nos seguintes locais: núcleos de apoio de Água Boa e de Juína, e nas administrações regionais da Fundação Nacional do Índio (Funai) do Araguaia, Barra do Garças, Campinápolis, Colíder, Cuiabá, Primavera do Leste, Rondonópolis e Tangará da Serra. Mais informações pelos telefones (65) 3615-8152 e 3628-1290.

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=11070


Unb lança "Observatório dos Direitos Indígenas"
14/08/08

Adital

O Centro Indígena de Estudos e Pesquisas (Cinep) lançará na próxima sexta-feira (15) o "Observatório dos Direitos Indígenas". O lançamento acontecerá no auditório "Dois Candangos", na Universidade de Brasília (UnB), Brasil, às 17h.

A idéia de criar o Observatório partiu de um grupo formado por advogados, bacharéis e estudantes indígenas de direito e visa defender os direitos dos povos indígenas a partir fortalecimento do conhecimento e da sabedoria indígena. Capacitar e articular observadores e defensores dos direitos indígenas, produzir e veicular material especificamente sobre seus direitos e criar e manter um banco de dados sobre a aplicação dos direitos indígenas no Brasil são algumas linhas de ação prioritárias contidas no Observatório.

O Cinep promove também o curso de "Formação técnica-política de lideranças indígenas". O curso oferece base para que lideranças e acadêmicos indígenas possam melhor entender a lógica da sua relação com o Estado. O curso conta com a parceria da Universidade de Brasília e faz parte das ações do Observatório.

Visando a defesa qualificada dos direitos indígenas, o Cinep vem contribuindo desde 2005 no fortalecimento das comunidades indígenas, através da capacitação, do debate e da assessoria técnica e política. O Cinep faz parte da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), que é composta por organizações indígenas regionais.

http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=34522


Funasa treina agentes de MS para combate a desnutrição
15/08/08

Campo Grande News

Para acompanhar o quadro da desnutrição indígena no país e evitar a ocorrência do problema, rincipalmente em grávidas e crianças menores de 5 anos, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) começa hoje a treinar agentes de saúde, gestores e lideranças.

http://www.campogrande.news.com.br/canais/view/?canal=8&id=233844


Unemat ganha de presente um tesouro indígena

14.08.2008

Agência de Notícias da Amazônia

Família de professora falecida doa acervo particular a programa de educação superior em Cuiabá.

CUIABÁ, MT – O Programa de Educação Superior Indígena Intercultural (Proesi), da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) recebeu um acervo de peças indígenas consideradas raras em todo o Brasil. O acervo foi doado pela família da

professora Joana Saira, falecida recentemente. Ela atuou por mais de 20 anos na Educação Escolar Indígena em Mato Grosso, dos quais oito anos na Unemat.

http://www.agenciaamazonia.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=2722&Itemid=259


Expansão - 2º módulo do Insikiran será construído com recursos do Reuni
14/08/08


O empenho foi assinado na Pró-Reitoria de Administração (Prads/UFRR) esta semana. O valor para a construção do 2º Módulo do prédio do Núcleo de Formação Superior

Indígena Insikiran é de R$ 408 mil.


http://www.ufrr.br/noticias/coordenadoria-de-imprensa/expansao---2o-modulo-do-insikiran-sera-construido-com-recursos-do-reuni


Bolsa Universitária garante esperança mantendo raiz indígena
12/08/08

MS NOTÍCIAS

Conciliar a abertura de novas perspectivas de vida que um diploma pode oferecer com

trabalhos voltados para a sociedade. O dilema de milhares de acadêmicos do Estado se torna para 100 beneficiários do programa Bolsa Universitária Indígena uma razão: a soma de dois caminhos para a valorização cultural.


http://ccr6.pgr.mpf.gov.br/institucional/clipping/clippings/13_08_2008.pdf


Índio graduado na UNIGRAN deve concluir em março mestrado na UFPA.
11/08/08

UNIGRAN

O terena Almires Machado, bacharel em Direito, deverá ser o primeiro índio graduado na UNIGRAN a concluir um mestrado. Formado na turma de 2004, Almires iniciou no ano passado o Mestrado em Direito da Universidade Federal do Pará (UFPA), que é oferecido com concentração em Direitos Humanos, e está agora na fase de preparação da dissertação final do curso. Seu trabalho envolve pesquisas de campo, refinamento teórico e temas ainda controversos na área do jurídica.

http://www.unigran.br/noticias/expande_noticia.php?cod=3160


Concurso para professores indígenas movimenta escola de Palmas
10/08/2008

João Lino Cavalcante – SECOM/ Governo de Tocantins

Cerca de 80 candidatos participaram, na manhã deste sábado, 9, do primeiro dia de provas do concurso público para professores indígenas promovido pelo governo do Estado, por meio da Seduc – Secretaria da Educação e Cultura do Tocantins. O certame, que ainda terá mais uma etapa neste domingo, 10, acontece no Centro de Ensino Médio de Palmas e oferece 200 vagas para professores indígenas das sete etnias do Estado. As vagas são para professor normalista com formação em nível médio, na modalidade Educação Escolar Indígena da rede estadual de ensino.


http://secom.to.gov.br/noticia.php?id=21191

Revista sobre pesquisas indígenas está disponível na Editora da Católica
09/08/2008

Camila Cruz – Jornal UCDB


A revista indigenista “Tellus” é um dos títulos disponíveis no site da Editora da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). A publicação tem como objetivo noticiar resultados de pesquisas e produções cientificas sobre os índios, através da divulgação de artigos, documentos, escritos indígenas e iconografia. Os volumes são produzidos pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas das Populações Indígenas (NEPPI) e a última edição é referente ao segundo semestre do ano de 2007.

http://www.noticias.ucdb.br/?menu=noticia&cod_not=30684


Não-indígenas estão ocupando vagas para indígenas no ProUni
06/08/08

Caroline Maldonado – Rede de Saberes

O Programa Universidade para Todos (ProUni) não exige que o inscrito prove que é de origem indígena, com isso não-índios estão se beneficiando de bolsas reservadas aos indígenas. A denúncia é do Instituto Americano da Cultura Indígena do Brasil. Segundo o presidente do instituto, Davi Terena, o programa do MEC (Ministério da Educação) está "repleto de irregularidades" na concessão de bolsas para índios. "Achamos estranho porque muitos estudantes indígenas não são beneficiados pelo ProUni. Soubemos de alunos que se autodeclararam indígenas e receberam a bolsa, mas agora recusam qualquer descendência e negam a autodeclaração". Junto á organização não-governamental Atini- Voz pela vida, ele pede que o Ministério Público Federal investigue o caso. “Desconfiamos porque a maior parte dos estudantes indígenas não estava beneficiada pelo ProUni. Pedimos que o deputado Reinaldo (PTB-RS) apresentasse o requerimento ao Ministério da Justiça. A Funai fez a pesquisa, mas ficou tudo por isso mesmo. A denúncia ficou esquecida”, comentou Terena. O fato de o inscrito poder alegar que é indígena sem precisar provar está previsto na lei que criou o programa em 2005. Das 385 mil bolsas do ProUni em todo Brasil, 961 são reservadas a indígenas. O problema é que muitos indígenas desconhecem esse direito. É o caso de Juvenil Cruz, de 25 anos, que cursa o último ano de História na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Quando ele buscou saber se tinha vagas para indígenas no ProUni a Funai (Fundação Nacional do Índio) informou que isso não existia. “Na Funai fui informado que o programa é para todos concorrerem de igual pra igual e são beneficiados de acordo com a nota do Enem e a baixa renda.”, contou Juvenil. Ele tem bolsa de 50% da universidade e 25% da Funai. Se não fosse a negligência da funcionária da Funai, talvez Juvenil não tivesse que arcar com esses 25% que pesam no bolso. Em situação pior está Eli Ticuna, de 39 anos, que faz o 5º semestre de Administração em uma universidade particular de Brasília. Com dificuldade, ele paga a mensalidade integral, não tem bolsa do ProUni e nem auxílio da Funai. Também, já foi notada pela equipe do Programa Rede de Saberes o baixo número de indígenas que conseguiram o benefício. Na semana passada foi realizada uma oficina de redação com os alunos da Aldeia Buriti, a fim de prepará-los para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que tem a nota utilizada no processo seletivo do Prouni. Na UCDB, atualmente apenas dois indígenas têm a bolsa, eles cursam Pedagogia e Direito. Em documento elaborado pelo Rede, à pedido do professor Baniwa Gersem José dos Santos Luciano é sugerido que seja pensado um formato específico do ProUni para os indígenas.

http://www.rededesaberes.org/www/index.html


Os primeiros alunos cotistas da UnB começam a receber o diploma

04/08/2008

Priscilla Borges - Correio Braziliense

Eles são os primeiros

Os cotistas fizeram o dever de casa: apenas 1% abandonou a universidade e o desempenho acadêmico ficou acima da média

Eles foram os primeiros a ingressar em um sistema que nasceu envolvido em polêmicas. Enfrentaram as desconfianças de professores, de colegas e da sociedade, que não acreditavam que conseguiriam acompanhar o ritmo dos selecionadíssimos estudantes da universidade. Agora, os resultados mais perceptíveis começam a aparecer. Os primeiros estudantes a passar pelo sistema de cotas da Universidade de Brasília (UnB) estão concluindo os cursos de graduação.

http://www.irohin.org.br/onl/clip.php?sec=clip&id=4332


Agosto: um mês excepcional para os direitos indígenas
04/08/2008
por lucosta - INESC

Agosto de 2008 mal começou e já entra para a história como o mês, nos últimos vinte anos, recordista em atividades públicas relacionadas com a promoção e a proteção dos direitos humanos dos povos indígenas do Brasil. São atividades realizadas tanto no âmbito governamental quanto não-governamental. Ressalte-se, porém, que nunca, desde a promulgação da Constituição Federal de 1988, os direitos dos povos originários estiveram tão ameaçados quanto agora. A avaliação é do assessor de Políticas Indígena e Socioambiental do Inesc, Ricardo Verdum, que apresenta também a agenda de atividades para este mês. Hoje, está sendo realizado o Simpósio “Terra Indígena Raposa-Serra do Sol” , no Ministério da Justiça. O encontro reúne autoridades federais e estaduais, antropólogos, juristas e especialistas internacionais, para discutir temas relacionados com a Terra Indígena Raposa-Serra do Sol, já homologada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e atualmente em apreciação no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF).

http://www.inesc.org.br/biblioteca/textos/agosto-um-mes-excepcional-para-os-direitos-indigenas


UFG aprova cotas sociais e raciais para o próximo vestibular
01/08/2008

Goiasnet.com

O Conselho Universitário da Universidade Federal de Goiás aprovou nesta sexta-feira o Programa UFG Inclui, que prevê uma série de medidas que contemplam ações referentes ao processo seletivo e à permanência dos estudantes que ingressarem por meio do programa em seus cursos de graduação. Dentre essas ações, inclui-se a adoção de cotas para alunos oriundos da escola pública e para negros, também da rede pública de ensino. Por 33 votos favoráveis, três contrários e três abstenções, o programa foi aprovado após intensas discussões, e será válido para o próximo vestibular, cujas inscrições começam em setembro.

http://www.opopular.com.br/ultimas/noticia.php?cod=360383


O projeto Trilhas de Conhecimentos foi encerrado em Outubro de 2009
© 2007 Todos os direitos reservados.Este material não pode serreescrito ou redistribuído sem prévia autorização.