Trilhas de Conhecimentos - O Ensino Superior de Indígenas no Brasil

Projeto
Público Alvo
Expediente

Artigos
Dissertações e Teses
Referências Bibliográficas
Livros

Entrevistas

Núcleo Roraima
Núcleo Mato Grosso do Sul

Galeria Multimídia

Ações Governamentais
Educação Superior Indígena


Links
Newsletter

Fale Conosco
Mapa do Site


 
     


Notícias de Fevereiro/2008

PGE dá parecer favorável à criação da carreira de professor indígena
26/02/2008

Salvador - A Procuradoria Geral do Estado (PGE) deu parecer favorável ao projeto de lei que cria a carreira de professor indígena, atendendo a uma solicitação da Secretaria Estadual da Educação. A boa notícia veio pouco mais de uma semana depois de reunião do secretário Adeum Sauer com representantes dos índios tupinambás e pataxós hã-hã-hãe, quando discutiram a alteração do Estatuto do Magistério do Estado da Bahia.


http://www.jornaldamidia.com.br/noticias/2008/02/26/Bahia/PGE_
da_parecer_favoravel_a_criaca.shtml


Seminário discute ensino superior para indígenas
26/02/2008

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa), por meio do Projeto Vigisus II, promove no período de 5 a 7 de março próximo, o seminário Estratégias e Desafios : Acesso ao Ensino Superior para Povos Indígenas. O evento, que será realizado em Brasília, tem por objetivo o acompanhamento do programa de Bolsa e o fomento de políticas públicas de acesso e manutenção de estudantes indígenas no ensino superior.

As atividades contarão com a participação de estudantes indígenas do Programa de Bolsas do Projeto Vigisus /Funasa, professores das universidades parceiras do Programa, representantes de organizações indígenas, do Fórum Permanente dos Presidentes de Conselhos Distritais de Saúde Indígena, da Funai, do Conselho Nacional de Educação do Ministério de Educação e Cultura (MEC) e de técnicos do Vigisus II, Departamento de Saúde Indígena (Desai), chefes de Distritos de Saúde Especial Indígena (Dsei) e chefes de Casas de Saúde Indígenas (Casais). Na oportunidade, será realizado o acompanhamento pedagógico aos estudantes indígenas e dos trabalhos e experiências desenvolvidos pelas universidades parceiras do Programa de Bolsas.
A proposta do Programa de Bolsas de estudos para indígenas no Ensino Superior faz parte do conjunto de ações e atividades a serem desenvolvidas para consolidação da Política Nacional de Atenção à Saúde Indígena, previstas no subcomponente I do Projetos Vigisus II/Funasa.

A partir de 2006, foram estabelecidas parcerias com sete universidades públicas brasileiras para o desenvolvimento do Programa de bolsas, garantindo acesso, manutenção e acompanhamento diferenciado/acompanhamento pedagógico, aos estudantes indígenas, onde foram contemplados 30 estudantes indígenas de 16 etnias: Xavante, Pareci, Umutina, Chiquitano, Bakairi, Guarani, Kaingang, Tewrena, Pataxó, Baré, Bororó, Fulni-ô, Atikum, Karajá, Macuxi e Wapichana.

O monitoramento do desenvolvimento do programa de acompanhamento do rendimento acadêmico dos estudantes é uma atividade desenvolvida em parceria com as universidades, por meio da disponibilização de um professor/coordenador que faz as interlocuções com as diversas áreas do curso, proporcionando aos estudantes indígenas o sucesso na formação.

http://www.funasa.gov.br/index.htm


Governo e MTE implantam programa de formação profissional indígena em Mato Grosso

23/02/08

ANDRÉ XAVIER
Redação/Secom-MT

O Governo do Estado e o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) vão implantar em breve, na região do Parque Nacional do Xingu, no Norte do Estado, um programa de formação profissional indígena que deverá capacitar 1.000 jovens índios com idade entre 16 e 24 anos, aldeados ou desaldeados. A informação é do Superintendente de Políticas Indígenas da Casa Civil, Rômulo Vandoni. Segundo ele, a proposta da parceria vem sendo conduzida pelo órgão há algum tempo e foi aprovada pelo Ministério do Trabalho e Emprego tendo ainda como parceiros; o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Banco do Brasil e o Instituto Raoni, entidade não governamental dirigida por representantes indígenas. É o Instituto Raoni que deverá gerenciar os recursos aportados para o desenvolvimento do programa.

http://www.secom.mt.gov.br/ng/conteudo.php?sid=51&cid=38602&parent=51


Diante de desastres climáticos, Bolívia discute saber indígena
21/02/2008

Texto e fotos de Mauricio Hashizume

Em congresso realizado em La Paz, estudiosos questionam modo de vida ocidental; sociólogo aimará prega novo paradigma e põe em xeque conceitos como sustentabilidade, desenvolvimento, ecologia e até solidariedade

La Paz - A reação do presidente Evo Morales às impiedosas enchentes que castigaram extensas áreas do território boliviano foi amplamente divulgada pela imprensa mundial. Evo prontamente ligou a recorrência de desastres meteorológicos aos cada vez mais intensos ao modo de vida, de produção e de consumo dos países ricos, fatores que contribuem sobremaneira com o aquecimento global. As mudanças climáticas estão entre as principais explicações para o agravamento do fenômeno "La Niña", desequilíbrio caracterizado pelo esfriamento das águas superficiais do Oceano Pacífico e pelo conseqüente adensamento de chuvas no continente.


http://www.reporterbrasil.com.br/exibe.php?id=1294


Pesquisador da UCDB participa de Seminário Internacional no México
20/02/08

Por Rede de Saberes

O Coordenador do Programa Rede de Saberes e do Programa Kaiowá/Guarani/NEPPI, professor Antônio Brand, participa na próxima semana, de seminário internacional na cidade do México. O evento tem como tema “Pathways en América Latina: Acción Afirmativa de Base Étnica e Instituciones de Educación Superior”, organizado pelo Centro de Investigações e Estudos Avançados do Instituto Politécnico Nacional, com recursos da Fundação Ford. O Programa Rede de Saberes, coordenado pela UCDB e desenvolvido em parceria com a UEMS, a UFGD e a UFMS/Campus de Aquidauana, faz parte do projeto Pathways na América Latina e, também, é financiado pela mesma Fundação. Por isso, a experiência desenvolvida pelo Rede de Saberes farão parte das discussões e avaliações previstas no evento.

http://www.rededesaberes.org/www/index.html


Reitor dá boas-vindas aos estudantes calouros indígenas
18/02/08


Os dez estudantes indígenas das etnias Umutina, Xavante, Bakairi e Arara fizeram suas matrículas, hoje (18) de manhã, nos cursos de Engenharia Florestal (três), Engenharia Sanitária Ambiental (três), Agronomia (dois) e Nutrição (dois) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Eles foram aprovados no processo seletivo específico para ingresso de estudantes dos povos indígenas de Mato Grosso em cursos de graduação. O reitor Paulo Speller deu as boas-vindas ao grupo.

Os calouros indígenas foram recepcionados hoje de manhã pela coordenadora de Políticas Acadêmicas, Myrian Tereza Serra Martins; pela coordenadora de Programa de Acompanhamento Permanente de Estudantes Indígenas, Carmen Lúcia da Silva, pelo Programador Educacional da Fundação Nacional dos Índios (Funai), Márcio Carlos Vieira Barros, pelo coordenador de extensão da Pró-reitoria de Vivência Acadêmica e Social (Provivas), Elias Nogueira Peres, pelos estudantes monitores dos cursos de graduação e pelos alunos veteranos.

Ao lado das pró-reitoras de Ensino de Graduação, Matilde Crudo, e de Pós-graduação, Marinêz Isaac Marques, o reitor Paulo Speller deu as boas-vindas aos calouros indígenas. ´´Nós queremos crescer ainda mais a participação dos estudantes indígenas na UFMT. A prioridade é a inclusão indígena´´, afirmou Speller. Ele reconheceu que ainda é muito pequena a participação nos oitenta cursos de graduação oferecidos pela universidade federal. São 16 estudantes indígenas distribuídos em 10 cursos. A proposta do reitor é ampliar o número de cem vagas, previstas inicialmente no Programa de Inclusão Indígenas (Pró-índio).Para Speller, os estudantes indígenas merecem estar inseridos na UFMT, tem capacidade e compromisso com as suas etnias. O reitor também reconheceu o papel da Funai, da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), dos professores e alunos no desenvolvimento do programa de inclusão.

O monitor e estudantes do curso de Serviço Social, Cícero Eduardo Garcia, disse que estão prontos para ajudar os novos estudantes indígenas. ´´Juntos vamos mais longe´´, frisou.

Para o calouro do curso de Engenharia Florestal, Audecyr Rodrigues Vela, da etnia Arara, a UFMT abriu as portas para todas as comunidades indígenas. Ele solicitou a abertura de vagas para outras áreas, pois o objetivo da inclusão é propiciar melhor qualidade de vida para a população indígena. Já a caloura do curso de Nutrição, Nadir Naupe Spínelli, da etnia Bakairi, agradeceu a oportunidade de ingressar no ensino superior. ´´Essa realização não é só minha, mas também uma realização para o povo indígena´´, ressaltou.

http://www.ufmt.br/


Troca de experiências entre países é fundamental para políticas públicas, diz pesquisador
18/02/08

Mylena Fiori - Repórter da Agência Brasil

Brasília - A troca de experiências com os países vizinhos é fundamental no processo de elaboração de políticas públicas para a juventude na avaliação de Maurício Santoro, pesquisador do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicos (Ibase) e integrante do novo Conselho Nacional de Juventude, empossado hoje (18). “Vejo um cenário muito rico, onde todos os países têm algo a ensinar ao outro”, afirma.


http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008
/02/18/materia.2008-02-18.1158631638/view


Mato Grosso terá 1ª especialização Indígena da América Latina
15/02/08

Texto: Maíra Sardinha- Seduc-MT, postado por Danielle Tavares

Coordecom

Parceria garante novas vagas na graduação e pós-graduação para indígenas

A Seduc e Unemat assinaram nesta quinta-feira (14.02), no campus da universidade, em Barra do Bugres, os Protocolos de Intenção de criação da especialização em Educação Escolar Indígena e de ampliação para mais 50 vagas no curso de licenciatura.

“O curso de pós-graduação é uma ação pioneira na América Latina. Em julho de 2008 serão ofertadas 40 vagas para os professores que concluíram o terceiro grau indígena”, ressaltou o secretário de Estado de Educação, Ságuas Moraes.

De acordo com o vice-reitor da Unemat, Elias Januário, a ampliação das vagas é necessária para dar continuidade à formação dos professores indígenas da rede pública municipal e estadual. “O 3º Grau indígena será realizado no município de Luciara para atender os povos indígenas que vivem na região do Araguaia”.

Segundo Ságuas, a decisão de ter outro campus foi tomada por causa da dificuldade dos índios se deslocarem mais de 800 km da região do Araguaia até Barra do Bugres, como é o caso dos Karajá e Tapirapé. Além de assinar os protocolos, o secretário informou que até o final de 2008, o Governo do Estado deve reformar todas as escolas indígenas estaduais.

Na ocasião, a índia Pareci e vice-presidente do Conselho de Educação Indígena, Francisca Navantino e o vice-reitor destacaram a importância da
existência de um espaço físico próprio e adequado para a realização dos cursos indígenas.

Atualmente, 150 índios de 32 povos indígenas cursam as licenciaturas em Ciências da Matemática e da Natureza, Ciências Sociais e Línguas, Artes e Licenciatura. A parceria assinada hoje é resultado das ações do trabalho da Seduc e do Programa de Educação Superior Indígena Intercultural (PROESI), da Unemat, que tem o objetivo da realização de cursos de Licenciaturas Plenas e Bacharelado, bem como Pós-Graduação lato e stricto Sensu.

http://www.unemat.br/


Secretário de Estado de Educação visita o PROESI
15/02/2008

Equipe do PROESI

O Secretario de Educação Ságuas Moraes Sousa esteve em Barra do Bugres visitando o Programa de Educação Superior Indígena Intercultural - PROESI - juntamente com a gerente de Educação Indígena da SEDUC, Letícia Queiroz, ocasião em que assinou dois convênios com a UNEMAT referentes a abertura de 50 vagas na graduação para indígenas da região do Araguaia e para a abertura de um curso de Especialização em Educação Escolar Indígena. Também participou da cerimônia o prefeito municipal de Barra do Bugres, Aniceto de Campos Miranda, que assinou convênio com a UNEMAT estendendo a pareceria até o ano de 2014.

Durante o evento, que contou com a participação de Lideranças Indígenas e demais autoridades, os Mebêngôkre saudaram o secretário apresentando uma dança tradicional de seu povo. Segundo o Coordenador do programa, Prof. Dr. Elias Januário, esse dia representou mais um marco na Educação Escolar Indígena com a oficialização da abertura de uma pós-graduação específica para indígenas e a consolidação da formação continuada para os Povos Indígenas.

http://www.unemat.br/


Federal de Ouro Preto aprova cotas sociais no vestibular

30% das vagas ficarão reservadas para estudantes de escolas públicas
Medida já vale no vestibular do meio do ano
14/02/2008

Do G1, em São Paulo

A Universidade Federal Ouro Preto (Ufop buscar) aprovou nesta quarta-feira (13) a adoção de cotas sociais no processo seletivo para ingresso de novos alunos. A reserva de vagas já valerá para o vestibular do meio do ano, com início das aulas no segundo semestre de 2008.


http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL298881-5604,00.html



13,8% das vagas das universidades federais são para cotas
12/02/2008

Fernanda Bassette Do G1, em São Paulo

O G1 fez um levantamento das instituições federais com reserva de vagas.
Vagas são destinadas a candidatos socialmente carentes, afrodescendentes ou indígenas.

De um total de 128.368 vagas oferecidas nos últimos processos seletivos de 55 instituições federais de ensino superior, 17.708 são destinadas às cotas, o que representa 13,8% do total das vagas.


http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL291560-5604,00-

DAS+VAGAS+DAS+UNIVERSIDADES+FEDERAIS+SAO+PARA+COTAS.html


Organizações indígenas promovem evento para discutir Declaração da ONU
12/02/2008

Cimi

Aprovada em 13 de setembro de 2007 pela Assembléia Geral das Nações Unidas, a Declaração sobre os Direitos dos Povos Indígenas é o tema das discussões promovidas por organizações indígenas, nos dias 13 e 14, no Hotel Nacional, em Brasília-DF.

Um dos objetivos do evento, segundo Azelene Kaingang, do Warã Instituto Indígena Brasileiro, é discutir como os avanços propostos pela Declaração podem ser incorporados pela legislação brasileira. O documento é um importante instrumento para a defesa dos direitos dos povos indígenas em todo o mundo. Nele são colocados direitos como à livre determinação dos povos indígenas; à terra, aos territórios e aos recursos naturais; ao consentimento prévio, livre e informado; às normas não escritas que regem internamente a vida das comunidades indígenas; o direito de propriedade intelectual. Representantes de diversas organizações de países da América Latina participam das discussões.

http://www.cimi.org.br/?system=news&action=read&id=3014&eid=245



Universidades beneficiaram 40 mil pelo sistema de cotas
27/01/2008

Paulo Darcie e Roberto Almeida/ Jornal O Estado de São Paulo

Doze das principais universidades federais e estaduais do Brasil já beneficiaram, até 2007, um total de 40 mil pessoas por meio de ações afirmativas de inclusão social, como a reserva de vagas e cotas raciais.
Segundo dados fornecidos pelas instituições, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que aplica o sistema desde 2003 e reserva 50% das vagas para cotistas, é a campeã, com 6.488 beneficiados. Em seguida vêm a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com 5.473 estudantes cotistas, e a Universidade Federal do Paraná (UFPR), com 3.885 alunos que ingressaram pelo sistema.

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20080127/
not_imp115693,0.php


'Não há modelos piores e melhores', diz Ronaldo Mota sobre as cotas
11/02/2008

Fernanda Bassette Do G1, em São Paulo
Secretário de Educação Superior do MEC fala sobre reserva de vagas nas universidades.
Instituições que adotam as cotas têm sido alvo de ações na Justiça.

No cargo de Secretário de Educação Superior (SESu) no Ministério da Educação (MEC) desde abril do ano passado, Ronaldo Mota é um defensor declarado do sistema de reserva de vagas nas universidades.

http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL281640-5604,00.html




O projeto Trilhas de Conhecimentos foi encerrado em Outubro de 2009
© 2007 Todos os direitos reservados.Este material não pode serreescrito ou redistribuído sem prévia autorização.