Trilhas de Conhecimentos - O Ensino Superior de Indígenas no Brasil

Projeto
Público Alvo
Expediente

Artigos
Dissertações e Teses
Referências Bibliográficas
Livros

Entrevistas

Núcleo Roraima
Núcleo Mato Grosso do Sul

Galeria Multimídia

Ações Governamentais
Educação Superior Indígena


Links
Newsletter

Fale Conosco
Mapa do Site


 
     


Notícias de Maio/2008


Haddad quer cota de 50% para escolas públicas
29/05/2008

Universia (c/ informações do MEC)

Ministro defendeu proposta em reunião com deputados federais.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, defendeu nesta quarta-feira, dia 28 de maio, no encontro que aconteceu no gabinete do presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia, a proposta que reserva 50% das vagas de universidades públicas a alunos de escolas públicas. Haddad se reuniu com líderes de todos os partidos da Câmara dos Deputados para esclarecer as dúvidas relacionadas à proposta.

http://www.universia.com.br/materia/materia.jsp?materia=16005


Seminário debate diversidade indígena em Roraima
28.05.2008

CIR

Propiciar um debate acadêmico sobre os diversos aspectos que envolvem, em Roraima, a situação em que vivem os povos indígenas. Com esse objetivo, a Procuradoria da República em Roraima, Associação do Ministério Público Estadual, Seção Sindical dos Docentes da UFRR e Centro Acadêmico de Ciências Sociais, vão realizar o seminário "Povos Indígenas e Diversidade em Roraima", no auditório da UFRR, Campus Paricarana, nos dias 4, 5 e 6 de junho.

http://www.cir.org.br/noticias.php?id=521


Marcos legais da Educação Superior na América Latina e Caribe
30/05/08

CEDECOM - UFMG

Lolybel Negrín, Caracas (Venezuela) - A iniciativa contida em “Reformas da Educação Superior: 25 propostas para a educação superior na América latina e Caribe” será apresentada na ante sala da Conferência Mundial sobre a Educação Superior da UNESCO, na qual representantes de muitos governos analisarão as ações prioritárias da educação superior com vista ao decênio que está por vir.

http://www.ufmg.br/online/arquivos/008725.shtml


Inclusão deve chegar a universidades

29/05/08

CEDECOM - UFMG

Cerca de 32% dos jovens latino-americanos e caribenhos, entre 20 e 24 anos, têm acesso ao ensino superior. A necessidade de abrir as portas do ensino superior debatida pelo quarto eixo temático da CRES 2008.


http://www.ufmg.br/online/arquivos/008706.shtml


Andamento das discussões sobre ações afirmativas
29/5/2008

Ilana Teixeira- Ascom / UESB

Desde agosto de 2007, foi constituída uma comissão para tratar de políticas de ações afirmativas na Uesb. Os trabalhos foram bem sucedidos e agora é a vez dos Departamentos discutirem em suas plenárias as propostas feitas, para depois o assunto ser debatido e deliberado em reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe). A expectativa, segundo a comissão, é que para o Vestibular 2009 as ações já sejam colocadas em prática.

“As ações afirmativas são importantes porque vão possibilitar que pessoas oriundas de grupos étnicos (negros e indígenas) e do ensino público sejam inseridas no ensino superior. Isso diversifica os grupos étnicos e econômicos na universidade e cria políticas públicas de inclusão para esses grupos sociais que foram excluídos ao longo da história”, como afirma o professor João Diógenes Ferreira dos Santos, representante do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas (DFCH) na Comissão de Ações afirmativas da Uesb.

http://www.uesb.br/ascom/ver_noticia_.asp?id=3192


UFG e UEG promovem Seminário de Acesso ao Ensino Superior
26/05/2008

ASCOM/UFG

Evento debateu políticas para adoção de ações afirmativas na UFG
O Seminário de Acesso ao Ensino Superior (SAES 2008) foi realizado entre os dias 18 e 21 de maio na cidade de Rio Quente, em Goiás. O evento, organizado este ano pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e pela Universidade Estadual de Goiás (UEG), teve como tema “O acesso ao ensino superior em foco: desafios e perspectivas”, visando a troca de experiências entre as instituições.

http://www.ufg.br/page.php?noticia=4291


PROESI realiza Oficinas Pedagógicas da Etapa Intermediária 2008/1
22/05/2008

PROESI; Apoio: Danielle Tavares – Coordecom/UNEMAT

O Programa de Educação Superior Indígena Intercultural (PROESI) está realizando a Etapa de Estudos Cooperados de Ensino e Pesquisa 2008/1 (Etapa Intermediária) dos Cursos de Licenciatura Específica para a Formação de Professores Indígenas.

No decorrer desta etapa, que geralmente ocorre nos meses de março a junho e de agosto a dezembro, os estudantes indígenas desenvolvem atividades de pesquisa em suas comunidades, com acompanhamento pedagógico da equipe de professores do programa. Tendo como objetivo melhorar a efetividade do acompanhamento, neste semestre estão sendo realizadas Oficinas Pedagógicas, reunindo os estudantes em três pólos, durante os meses de maio e junho.


http://indigena.unemat.br/modules/news/article.php?storyid=42


2,37% das vagas em universidades públicas são para cotas raciais, diz Ipea

21/05/08

G1/São Paulo

Estudo faz estimativa das vagas reservadas, mas nem todas são preenchidas.
48 universidades públicas implemetaram algum programa de ação afirmativa.
Desde 2001, quando o sistema de cotas raciais foi implantado pela primeira vez no país em uma universidade pública, 51.875 vagas foram reservadas para alunos negros, de acordo com estimativa da pesquisa “Juventude e Políticas Sociais no Brasil” do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL489645-5604,00.html


Evento discute Ensino Superior indígena
21/05/08

Diário do Nordeste

O planejamento do curso superior de Licenciatura Intercultural está sendo discutido por várias instituições

Fortaleza. Discutir uma proposta de elaboração de cursos de Ensino Superior para a população indígena do Ceará. Foi com este intuito que várias tribos do Estado, representantes de universidades, da Funai, da Secretaria de Educação do Estado (Seduc) e de Organizações Não Governamentais (ONGs) se reuniram, até ontem, em um seminário no município de Caucaia. O II Encontro Estadual de Educação Escolar Indígena aconteceu desde segunda-feira. Um outro objetivo é, com a proposta de concorrer no Prolind, um programa do governo federal que financia formação de professores na área de educação de Licenciatura Indígena e Intercultural. As universidades que quiserem criar o curso superior é que poderão se inscrever neste edital de financiamento.

http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=539306

UFMG aprova mecanismo de inclusão para estudantes negros e de escolas públicas
16 /05/08

Assessoria de Imprensa - UFMG

O Conselho Universitário da UFMG aprovou nesta quinta-feira, 15 de maio, a adoção de mecanismo destinado a ampliar a inclusão de alunos egressos de escola pública. A medida prevê a atribuição de adicional de 10% na pontuação obtida, no vestibular, pelos candidatos que freqüentaram escola pública da 5ª série do ensino fundamental ao último ano do ensino médio.

http://www.ufmg.br/online/arquivos/008575.shtml


Coordenador do Rede realizou abertura de encontro no Paraná
16/05/08

Por Valeska Medeiros

Expondo o tema Os povos indígenas e sua presença nas instituições de ensino superior, o coordenador do Programa Rede de Saberes, Dr. Antonio Brand realizou a abertura do 1º Encontro de Educação Superior Indígena do Paraná, que aconteceu nos dias 19 e 20 deste mês, em Londrina, que também contou com a participação de outros professores dos Programas de Mestrado em Educação e Desenvolvimento Local da Universidade Católica Dom Bosco. O Prof. Brand, inicialmente traçou um panorama da situação dos acadêmicos indígenas a nível nacional, e deu ênfase ao Estado de Mato Grosso do Sul, como as atividades desenvolvidas pelo projeto Rede de Saberes. Vale lembrar que o Paraná foi o 1º Estado a implementar ações afirmativas de acesso diferenciado à universidade para indígenas, em 2001, disponibilizando um total de três vagas suplementares nas sete universidades estaduais para candidatos índios. Esse número foi ampliado, em 2006, para seis vagas. E a seleção dos candidatos índios acontece através de vestibular diferenciado. Na mesma linha, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) abriu um total de sete vagas para alunos índios, a partir de 2004. Constituíram, também, uma Coordenação conjunta das diversas Universidades, que encaminha os temas relacionados aos acadêmicos índios (CUIA). Cabe destacar que o Governo do Paraná aprovou uma bolsa de 450,00, para cada indígena, matriculado nas universidades. Esse valor recebe um acréscimo de 50% se o acadêmico for casado ou tiver família para sustentar durante o estudo.

http://www.rededesaberes.org/www/index.html


Confira artigo do Cefapro de Cáceres sobre experiência com o provo Chiquitano.
07/05/08

Marco José dos Santos Matos /Waldinéia Antunes de Alcântara Ferreira

A formação continuada de professores indígenas

A finalidade deste texto é apresentar uma experiência vivenciada no Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica do pólo de Cáceres- MT, na elaboração de um projeto específico de formação continuada para atender aos professores indígenas da comunidade escolar Chiquitano, do município de Porto Esperidião, fronteira do Brasil com a Bolívia.

http://www.seduc.mt.gov.br/conteudo.php?sid=20&cid=7795&parent=0


Conferência pede aprovação de Estatuto da Igualdade Racial
07/05/08

Roberto Seabra / Patricia Roedel - Agência Câmara

Representantes do movimento negro pediram hoje a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial (PL 6264/05), que tramita no Congresso Nacional há quase dez anos. Eles apontam que essa será a resposta ideal do Poder Legislativo às iniciativas que tentam impugnar políticas afirmativas para a população negra, como a lei de cotas nas universidades e o programa Prouni, do governo federal.

http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?
pk=121453&pesq=ind%EDgena


UNEMAT assina termo de compromisso com a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso
06/05/2008

Equipe do PROESI

Foi assinado no dia 05 de maio de 2008 o Termo de Compromisso entre a UNEMAT, a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso – SES/MT e a Escola de Saúde Pública de Mato Grosso – ESP/MT.

http://indigena.unemat.br/modules/news/article.php?storyid=41


Mais 50 índios são habilitados no bolsa universitárias
06/05/08

Fernanda Mathias – Campo Grande News

Mais 50 acadêmicos indígenas estão habilitados para o programa Bolsa Universitária conforme relação publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira. A relação de habilitados pode ser consultada clicando aqui.

http://www.campogrande.news.com.br/canais/view/?canal=8&id=226358

Professores indígenas realizam encontro de planejamento em RR
06/05/08

BOA VISTA - A Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Desportos por meio da Divisão de Educação Indígena realiza na próxima quarta-feira (7), a partir das 8h, o primeiro encontro sobre o Plano de Ações Articuladas para a comunidade indígena.

http://portalamazonia.globo.com/noticias.php?idN=67041&idLingua=1


Projeto Haiyô realiza nova etapa de formação de professores
05/05/08

Roseli Riechelmann - Assessoria/Seduc-MT

Cerca de 40 professores titulares, auxiliares e coordenadores de pólos, além de membros da Gerência de Educação Indígena da Secretaria de Estado de Educação realizam uma espécie de ‘semana pedagógica’ com docentes do Projeto Haiyô. Durante uma semana ( 5 a 9 de maio) eles debatem dentro da IV Etapa do Projeto de Formação de Professores Indígenas do magistério intercultural as políticas pedagógicas da área.

http://www.seduc.mt.gov.br/conteudo.php?sid=20&cid=7785&parent=0


UFSCar se abre para indígenas
1/5/2008

Afropress

S. Carlos - Estudantes de origem indígena da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) puderam expressar sua cultura, na última quinta-feira (29/04), com apresentação de danças, exibição de vídeos e palestras, marcando presença na Universidade, possibilitada pelo Programa de Ações Afirmativas (PAA) aprovado no final de 2006 e implantado no Vestibular 2008.
O PAA é um esforço de democratização do acesso ao Ensino Superior que prevê, entre outras ações, a reserva de vagas para estudantes vindos de escolas públicas e para estudantes negros. Além disso, o Programa criou uma vaga adicional em cada curso de graduação da UFSCar exclusivamente para os estudantes indígenas, que passaram por processo seletivo especial. Hoje são 14 estudantes vivenciando o dia-a-dia na Universidade.

http://www.afropress.com/noticiasLer.asp?id=1612


Polivalência de saberes em debate na Ufam
Michelle Portela - Agência Fapeam

O Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas realiza o II Seminário de Ciências do Ambiente na Amazônia e o III Encontro de Etnobiologia e Etnoecologia da Região Norte, de 19 a 23 de maio.

http://www.fapeam.am.gov.br/noticias/noticia_2767.html

 


O projeto Trilhas de Conhecimentos foi encerrado em Outubro de 2009
© 2007 Todos os direitos reservados.Este material não pode serreescrito ou redistribuído sem prévia autorização.