Trilhas de Conhecimentos - O Ensino Superior de Indígenas no Brasil

Projeto
Público Alvo
Expediente

Artigos
Dissertações e Teses
Referências Bibliográficas
Livros

Entrevistas

Núcleo Roraima
Núcleo Mato Grosso do Sul

Galeria Multimídia

Ações Governamentais
Educação Superior Indígena


Links
Newsletter

Fale Conosco
Mapa do Site


 
     

Núcleo Roraima / Dados Fisográficos e Toponímia



Dados Fisiográficos

O estado de Roraima, localizado na zona de fronteira norte do Brasil, limita-se ao norte com a Venezuela e a Guiana, a leste com a Guiana, ao sul com os estados do Amazonas e Pará, a oeste com o Amazonas e com a Venezuela.


Fonte: Google Earth

O clima de Roraima é quente e úmido. Localizado na zona equatorial, possui baixa amplitude térmica anual. Como em todo o norte do país as estações do ano são marcadas pela população através da sazonalidade das chuvas: ao período chuvoso, sobretudo junho e julho, chamam inverno e ao período seco chamam verão, concentrado nos meses de dezembro e janeiro. A capital, Boa Vista, possui temperatura média anual de cerca de 27,4º C.

Praticamente todo o território do estado é formado por terrenos cristalinos pertencente ao Escudo das Guianas. Seu relevo, pode ser caracterizado por degraus que, partindo da calha do rio na área central, sobem para seus divisores de água nos limites norte, leste e oeste do estado. Desse modo, podem ser caracterizados cinco degraus. O primeiro corresponde às áreas mais próximas à calha do rio e, portanto, áreas de acumulação inundáveis.

O segundo degrau é caracterizado pelo pediplano Rio Branco, unidade do relevo que ocupa a maior parte das terras do estado, onde as altitudes variam de 70 a 160m, com fraca declividade na direção da calha do rio. O terceiro degrau corresponde a pequenas serras que podem chegar a 400 m de altitude, tais como a serra da Lua, a serra Grande, a da Batata, entre outras. O quarto degrau é constituído por elevações bem maiores, variando entre 600 e 2.000 m de altitude. Corresponde à cordilheira do Pacaraima, à serra do Parima e à serra do Urucuzeiro, unidas em forma de cadeia. No quinto e mais alto degrau as elevações chegam a quase 3.000 m de altitude, tendo o monte Roraima, com 2.875 m como seu ponto culminante.

O estado de Roraima apresenta três complexos ecológicos bem distintos. No baixo curso do rio Branco, ao sul e a oeste predomina a floresta tropical e equatorial, ao norte e leste predominam as savanas. Com uma área de aproximadamente 44.000 Km2 esta área é conhecida como região do Lavrado, formado sobretudo por gramíneas, com buritis ao longo dos cursos dos rios. Nas áreas mais elevadas das montanhas, encontra-se a típica vegetação de altitude, com cobertura vegetal menos densa.

Toponímia

Criado com a denominação de território do Rio Branco em 1943, em função de seu principal rio, seu nome atual foi dado em 1962, em referência a seu ponto culminante, o monte Roraima. Uma das versões existentes para seu nome diz que o topônimo Roraima, de origem ianomâmi, deriva de duas palavra, roro ou rora, que significa verde e ímã, que quer dizer serra ou monte, formando assim a palavra serra verde.

O projeto Trilhas de Conhecimentos foi encerrado em Outubro de 2009
© 2007 Todos os direitos reservados.Este material não pode serreescrito ou redistribuído sem prévia autorização.